História do Rei Humberto II

Humberto II nasceu no Castelo de Racconigi, Itália, a 15 de Setembro de 1904. Filho de Víttorio Emanuele III , reinou de 9 de Maio a 13 de Junho de 1946 .

Casou a 8 de Janeiro de 1930, na Capela Paulina do Palácio do Quirinal , em Roma , com a Princesa Maria José , filha do Rei Alberto I da Bélgica , com quem teve quatro filhos: Maria Pia (1934 ), Vittorio Emanuel e (1937 ), Maria Gabriella (1940 ) e Beatrice (1943 ).

A 9 de Maio de 1946 , e numa última tentativa de salvar a monarquia , tornou-se Rei de Itália , após a abdicação de seu pai que nunca se opôs à ditadura de Mussolini. Reinou apenas durante um mês, pois a 2 de Junho , os italianos pronunciaram-se, em referendo , pela instauração da República . Em simultâneo, mulher e filhos viajam para Portugal e o Rei fica em Itália a aguardar a decisão final do conselho de Ministros, que chegou dia 12 de Junho.

reihumberto

Humberto II foi obrigado a passar todos os seus poderes para o presidente do Conselho, partindo para o exílio a 13 de Junho, mas nunca abdicou do trono.

Quando deixou Itália, Humberto II, o “Rei de Maio”, assim chamado por ter reinado apenas naquele mês, esforçou-se por manter um ar calmo, mas via-se que estava desesperado e que continha a muito custo as lágrimas.

Finalmente, foi a conhecida família portuguesa Pinto Basto que disponibilizou a sua residência de Cascais - actual Villa D’Este - para que o Rei e a sua família se instalassem.

Entretanto, Maria José transferiu-se para Merlinge, Suíça, devido a uma doença que tinha nos olhos. Levou com ela o filho, e posteriormente, Maria Gabriella e Maria Beatrice também partiram para a Suíça. Maria Pia casou e mudou-se para Paris com o marido. O Rei ficou sozinho em Cascais, tendo como única companhia o secretário da sua mãe, o conde Dino Olivieri. Recebia visitas, estudava e lia na varanda, sempre nostálgico pela sua Itália.

Residiu nesta casa durante 11 anos (1950-1961), até que um grupo de monárquicos fiéis financiou a “Villa Itália”. Foi assim que no terreno de dois mil metros quadrados, e junto à Villa D’Este surgiu a residência definitiva do Rei e actual “Villa Itália”, nome dado pelo próprio Humberto.

A espectacular localização da Casa, frente à Boca do Inferno, e a imponente vista para a baía de Cascais, tornou-a o cenário ideal de muitas das mais faustosas festas que agitavam a vida social da época em Cascais.

O Rei entrou rapidamente no circuito de luxo do Estoril, sendo presença assídua em festas e outros eventos. Tal como todos os outros exilados de “sangue azul” ou fortuna, Humberto II, que diariamente assistia à missa, tirou alto partido da indústria hoteleira e lazer da Linha, que sofreu um boom fortíssimo na altura. O Estoril e Cascais estavam na moda.

Na imagem, uma das festas realizadas na casa do rei de Itália, Humberto II, com a rainha Vitória Eugénia e os Condes de Barcelona.

O Rei Humberto II foi, também, uma das presenças estrangeiras mais visíveis para as gentes da zona, passeando pela praia e participando habitualmente numa série de iniciativas de caridade. Um dos seus primeiros actos em Portugal, foi uma visita à colónia balnear “O Século”, em S. Pedro do Estoril, onde se alojavam crianças refugiadas, na sua maior parte judias.

reihumberto2

Casa de Sabóia

É uma das famílias que tem mantido durante muitos séculos a soberania sobre o território com este nome. Os seus inúmeros membros uniram-se, através dos séculos, com as mais ilustres estirpes europeias. A Casa de Sabóia preenche um capítulo importante da história da Europa. Com laços seculares a um território alpino e mediterrâneo ao mesmo tempo, protagonizou mais de uma vez, nos séculos XVI e XVII, os conflitos e as rivalidades entre duas potências, França e Espanha. Foi símbolo e representação nacional da Itália moderna já que provocou a unidade do país. Facto que a confrontou com o Papado e com o resto das dinastias italianas, algumas de origem estrangeira.

O avô de Humberto II, Humberto I, nasceu a 14 Março de 1844, e morreu assassinado, a 29 Julho de 1900. Casou com Margarida, Princesa de Sabóia-Genebra, e teve um único filho, o seu sucessor, Vittorio Emanuele III, nascido a 11 de Novembro de 1869 e que morreu no exílio a 28 de Dezembro de 1947, um ano depois de abdicar em favor do seu único filho varão, Humberto II. Do seu matrimónio com Helena, Princesa Petrovitch Niegoch de Montenegro, nasceram cinco filhos: Iolanda, Mafalda, Humberto II, Joana (Rainha dos búlgaros pelo seu matrimónio com Boris III), e Maria.

Humberto II, nascido a 15 de Setembro de 1904 casou com Maria José, Princesa da Bélgica, e teve três filhas e um varão, Vittorio Emanuele, Príncipe de Nápoles (título que se dá ao herdeiro da coroa).

(Fonte Enciclopédia Britânica, Wikipedia, fragmentos de “A Costa do Exilio” José Vegar/Luis Villalobos, Revista Blue Living Maio 2003)

Siga-nos   Facebook-Hoteis-Real Feeds-Hoteis-Real google-Hoteis-Real Pinterest-Hoteis-Real